| Login | Crie o seu Jornal Online FREE!

Clipping CMH
Desde: 11/11/2014      Publicadas: 6931      Atualização: 06/09/2017

Capa |  Hortolândia  |  Política  |  RMC/RPT


 Política

  08/08/2017
  0 comentário(s)


Temer faz agrado a Doria por reforma da Previdência

O presidente espera pelos votos da bancada do PSDB para aprovar a reforma mais polêmica de seu governo

Temer faz agrado a Doria por reforma da Previdência
Em meio à divisão do PSDB sobre a permanência no governo, à indefinição quanto ao candidato tucano à Presidência em 2018 e a necessidade de recompor a base aliada para aprovar a reforma da Previdência, o presidente Michel Temer distribuiu nesta segunda-feira, 7, elogios e alçou o prefeito de São Paulo, João Doria, à condição de líder nacional.
Temer e Doria assinaram na sede da Prefeitura um acordo que prevê a concessão ao Município de parte do Campo de Marte, hoje sob controle da Força Aérea, para construção de um parque e de um museu aeroespacial. A disputa judicial entorno da área vem desde 1958 (mais informações na pág. A13).
Segundo auxiliares do presidente, o gesto tem por objetivo amarrar o apoio de Doria à reforma da Previdência.
"Vejo aqui um parceiro e um companheiro. Alguém que compreende como ninguém os problemas do País. Porque a visão do João Doria é municipalista, o que é fundamental, mas uma visão nacional", disse Temer durante o evento em São Paulo.
O primeira gesto do governo Temer de se aproximar de Doria aconteceu no sábado passado, quando o Itamaraty realizou reunião do Mercosul sobre a Venezuela na Prefeitura de São Paulo.
O presidente espera pelos votos da bancada do PSDB para aprovar a reforma mais polêmica de seu governo. Dos 13 deputados tucanos de São Paulo apenas uma, Bruna Furlan, votou contra o prosseguimento da denúncia contra Temer por corrupção passiva. O Planalto avalia que, embora tenham votado contra o governo, estes parlamentares podem apoiar a reforma - uma proposta de emenda à Constituição necessita de um mínimo de 308 votos na Câmara.
Integrantes da equipe de Doria afirmam que o prefeito vai atuar para que a bancada do PSDB dê os votos necessários para a mudança nas regras previdenciárias. Pelos cálculos do governo, levando em conta a votação da admissibilidade da denúncia contra Temer, na semana passada, faltam 22 votos para aprovação da reforma. O governo, no entanto, quer garantir o apoio de ao menos mais 40 deputados para ter margem de manobra.
Temer elegeu Doria como interlocutor com os deputados tucanos porque hoje sua identificação é maior com o prefeito do que com o governador Geraldo Alckmin (PSDB) que age para ser candidato à Presidência em 2018 e mantém uma postura mais crítica ao governo federal. "Candidatura é o partido que decide. Vamos discutir no momento certo", afirmou Alckmin, que era esperado na agenda com Temer e evitou comentar a possibilidade de seu afilhado político concorrer à Presidência.
O governador não compareceu ao evento de ontem, embora seu nome estivesse na agenda do prefeito. Segundo Doria, o governador "foi generoso" e decidiu na véspera que não iria ao ato para não ofuscar o papel da Prefeitura.
Conciliação
Tanto o prefeito quanto o presidente usaram o simbolismo do ato para reforçar o discurso em torno da conciliação nacional, presente nos primeiros pronunciamentos de Temer ainda durante o governo interino no processo de impeachment da presidente cassada Dilma Rousseff.
Com isso, Temer, que tem apenas 5% de aprovação segundo o Ibope, espera dar um ar de normalidade ao governo, que na semana passada ainda vivia a apreensão da votação da denúncia por corrupção.
O presidente condenou o "emocionalismo" que tem pautado o debate "A história do nós contra eles não pode prevalecer", disse, fazendo referência a uma crítica recorrente aos discursos do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.


  Mais notícias da seção Política no caderno Política
21/08/2017 - Política - Governo tenta retomar reforma da Previdência
Os planos no governo devem esbarrar em um Congresso cada vez mais focado na reforma política...
08/08/2017 - Política - Governo avalia pacote de aumento de impostos
Entre as propostas em estudo está a criação de uma alíquota de 30% ou 35% de Imposto de Renda para quem ganha mais de R$ 20 mil mensais...
08/08/2017 - Política - MAR DE LAMA: Justiça suspende ação por homicídio no caso Mariana
Distrito de Bento Rodrigues foi destruído pelo rompimento da barragem da mineradora Samarco...
03/08/2017 - Política - Caixa arrecada R$ 7,6 bilhões em loterias
Do valor arrecadado, R$ 3,6 bilhões foram repassados a programas sociais nas áreas de saúde, educação, esportes, segurança, cultura e seguridade, conforme definição legal...
03/08/2017 - Política - Câmara rejeita denúncia contra Michel Temer
Com o impedimento da autorização, caberá ao presidente da Câmara dos Deputados comunicar ao STF o resultado da votação e a impossibilidade de abrir investigação...
02/08/2017 - Política - MPs denunciam tentativa de obstrução dos governos
MPs do Brasil e da Argentina denunciam tentativa de obstrução dos governos...
02/08/2017 - Política - Uerj adia início das aulas por condições precárias
Reitor da UERJ, Ruy Garcia Marques: crise sem precedentes...
02/08/2017 - Política - Lula se comportava como dono do sítio, diz Moro
O magistrado elencou o conjunto de provas que, segundo ele, "permitem, em cognição sumária"...
02/08/2017 - Política - Juiz decide que distinção de preços não é ilegal
A Justiça determinou que a União deixe de aplicar a Nota Técnica que dispõe sobre a ilegalidade na diferenciação de preços entre homens e mulheres até decisão final...
01/08/2017 - Política - FGTS só pode ser sacado por doentes ou presos
O banco orienta os trabalhadores a acessar o endereço ou ligar para 0800-726-2017, para que possam saber o valor, a data e o local mais convenientes para os saques...



Capa |  Hortolândia  |  Política  |  RMC/RPT
Busca em

  
6931 Notícias